Chamada pública de artigos para as Seções Temáticas

Vol. 67, nº 4/2016 - Governança do Setor Público

                Para esse número da Revista do Serviço Público, serão acolhidos artigos dentro do campo de gestão pública e políticas públicas que contribuam teórica e empiricamente para a discussão sobre governança do setor público. Será dada especial atenção a artigos empíricos que possam fazer uma contribuição teórica e não apenas descritiva a este campo de estudo. Na discussão sobre Governança do Setor Público, acolheremos artigos dentro de temas correlatos, tais como: (i) – coordenação de políticas e serviços públicos; (ii) – análise comparativa de arranjos institucionais (governamentais ou entre Estado-sociedade civil) que contribuam para compreender os resultados de políticas públicas; (iii) – capacidades estatais para formulação, implementação e avaliação de políticas públicas, dentre outros. 

Contribuições até 31/10/2016

Vol. 68, Nº 01/2017 – Gestão e Poder Local

                Para esse número a Revista do Serviço Público acolherá artigos que apresentem contribuições originais sobre Gestão Pública e Poder Local. Solicita-se contribuições que possam analisar a questão da gestão pública e do poder local com foco comparativo. Nesse campo de estudo, espera-se contribuições em temas tais como arranjos federativos e o papel do poder local na implementação de políticas públicas; descentralização administrativa e gestão de recursos públicos; poder político local, clientelismo e políticas públicas; e redes de políticas públicas.

Contribuições até 15/01/2017

Vol. 68, nº 02/2017 – Inovação no Setor Público

                São muitos os desafios do processo de inovação no setor público, tanto na ótica de serviços, quanto na ótica das políticas públicas. O objetivo dessa Seção Temática da Revista do Serviço Público será debater o processo de inovação em serviços e políticas públicas, com especial enfoque na compreensão dos indutores e barreiras à inovação; metodologias de inovação como design thinking e instrumentos de co-criação; análise e avaliação de processos e políticas inovadoras; e centralidade do cidadão como agente de serviços e políticas. Solicitam-se contribuições que tenham um enfoque comparativo, utilizando metodologias quantitativas ou qualitativas, ou multimétodos.

Contribuições até 15/03/2017