Gestão estratégica de pessoas na administração indireta do setor público federal: na prática, ainda um discurso

Autores

  • Ana Lúcia Neves de Moura Fundação Joaquim Nabuco
  • Bruno Campello de Souza Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.21874/rsp.v67i4.1046

Palavras-chave:

administração estratégica, gestão de pessoas, administração pública indireta

Resumo

O artigo tem como objetivo analisar o discurso e a prática da área de gestão de pessoas na administração indireta do setor público federal brasileiro, sob a perspectiva da Teoria Institucional. Trata-se de pesquisa quantitativa, com a aplicação de questionário a 43 órgãos públicos. Constatou-se a discrepância entre o discurso e a prática. A inserção estratégica da gestão de pessoas nas estruturas e processos decisórios das instituições públicas ainda é uma questão a ser conquistada. Os resultados sugerem que restrições relacionadas à qualificação dos profissionais de recursos humanos, à ausência de uma gestão estratégica e ao legado histórico-cultural das instituições têm limitado a capacidade de resposta da gestão de pessoas às novas demandas de RH, dificultando as inovações e mudanças nessa área. 

Biografia do Autor

Ana Lúcia Neves de Moura, Fundação Joaquim Nabuco

Doutora em Administração (UFPE). Analista em Ciência e Tecnologia da Diretoria de Formação e Desenvolvimento Profissional da Fundação Joaquim Nabuco.

Bruno Campello de Souza, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em Psicologia (UFPE), Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração - PROPAD/UFPE

Downloads

Publicado

2016-12-28

Como Citar

Neves de Moura, A. L., & Souza, B. C. de. (2016). Gestão estratégica de pessoas na administração indireta do setor público federal: na prática, ainda um discurso. Revista Do Serviço Público, 67(4), 575 - 602. https://doi.org/10.21874/rsp.v67i4.1046

Edição

Seção

Artigos