Mensuração de Desempenho em Organizações Públicas: o caso da Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul

Autores

  • Vinicius Pimentel de Freitas
  • Ricardo Lopes Cardoso
  • André Carlos Busanelli de Aquino
  • Rômulo Campos dos Reis Júnior

DOI:

https://doi.org/10.21874/rsp.v60i3.27

Resumo

Este artigo apresenta o caso do modelo de mensuração de desempenho existente na Secretaria de Estado da Fazenda do Rio Grande do Sul. Mediante abordagem exploratória e descritiva, baseada em entrevistas em profundidade, comparamos as similaridades entre o modelo vigente na Secretaria e as principais características citadas nos estudos desses modelos aplicados à iniciativa privada. Encontramos como semelhanças: a dissociação entre recompensa e esforço; negociação de metas; e mecanismos sociais de punição. A análise das séries trimestrais dos indicadores de desempenho, na comparação meta/realizado entre 2005-2008 (14 trimestres, até junho/2008), fornece evidências iniciais de que os funcionários da Secretaria têm atingido em média 91,46% das metas. Isso sugere a existência de folga orçamentária e, portanto, de baixo incentivo ao desempenho.

Palavras-chave: mensuração de desempenho, incentivos, remuneração variável. 

Downloads

Publicado

2014-01-24

Como Citar

Freitas, V. P. de, Cardoso, R. L., Aquino, A. C. B. de, & Júnior, R. C. dos R. (2014). Mensuração de Desempenho em Organizações Públicas: o caso da Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul. Revista Do Serviço Público, 60(3), p. 277-290. https://doi.org/10.21874/rsp.v60i3.27

Edição

Seção

Artigos