Avaliando reformas da gestão pública: uma perspectiva internacional

Autores

  • Christopher Pollitt
  • Geert Bouckaert

DOI:

https://doi.org/10.21874/rsp.v53i3.287

Resumo

Avaliar as reformas da gestão pública numa perspectiva internacional é um exercício científico difícil e problemático. Cinco problemas parecem emergir: a unidade de análise para uma comparação internacional é menos óbvia do que parece. Níveis de governo são diferentes de setores e de instrumentos e processos específicos. A unidade de sentido é o segundo problema, pois pode ser que uma agência não seja uma agência. A ausência e a qualidade dos dados, além das séries temporais constituem outro conjunto de problemas. A multiplicidade de critérios para se definir a reforma e a imponderabilidade da mudança são um outro problema metodológico. Em todo caso, é possível desenhar um quadro rústico e classicar os esforços de reforma em termos de quatro estratégias principais (4 Ms): manter, modernizar, “mercadificar” e minimizar. Isto nos permite falar de “resultados” mesmo se há uma falta de reflexividade num contexto de paradoxos.

Downloads

Publicado

2014-02-21

Como Citar

Pollitt, C., & Bouckaert, G. (2014). Avaliando reformas da gestão pública: uma perspectiva internacional. Revista Do Serviço Público, 53(3), p. 7-31. https://doi.org/10.21874/rsp.v53i3.287

Edição

Seção

Artigos