O círculo vicioso da corrupção no Brasil: limites estruturais e perspectivas de rompimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21874/rsp.v69i0.3262

Palavras-chave:

corrupção, administração pública – Brasil

Resumo

O escopo deste artigo consistiu em identificar e analisar aspectos do contexto socioeconômico e político do Brasil redemocratizado que reforçam ou ameaçam de rompimento o historicamente construído círculo vicioso da corrupção que o envolve. Por meio de pesquisa qualitativo-interpretativista, que possibilitou um plano de sustentação argumentativo relacionando aspectos teóricos do patrimonialismo e do rent seeking com informações empíricas do contexto histórico e sociopolítico-econômico do Brasil, concluiu-se que: a corrupção no Brasil tem avançado aceleradamente nas últimas décadas, apesar da implantação de instituições e leis de combate ao fenômeno; não se vislumbra, pelo menos no médio prazo, possibilidade concreta de rompimento desse círculo vicioso; e que, na escala construída neste artigo, o país permanece nos postos elevados da classificação, configurado como um Estado e sociedade com fortes traços extrativistas de caráter perene.

Biografia do Autor

José Antonio Gomes de Pinho, Escola de Administração da UFBA

Prof.Titular aposentado Escola de Administração-UFBA em Pós doutoramento na EAESP-FGV

Ana Rita Silva Sacramento, Faculdade Anísio Teixeira

Doutora em Administração pela Universidade Federal da Bahia

Downloads

Publicado

2018-12-14

Como Citar

Pinho, J. A. G. de, & Sacramento, A. R. S. (2018). O círculo vicioso da corrupção no Brasil: limites estruturais e perspectivas de rompimento. Revista Do Serviço Público, 69, 181 - 208. https://doi.org/10.21874/rsp.v69i0.3262

Edição

Seção

Especial: Repensando o Estado Brasileiro