O círculo vicioso da corrupção no Brasil: limites estruturais e perspectivas de rompimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21874/rsp.v69i0.3262

Palavras-chave:

corrupção, administração pública – Brasil

Resumo

O escopo deste artigo consistiu em identificar e analisar aspectos do contexto socioeconômico e político do Brasil redemocratizado que reforçam ou ameaçam de rompimento o historicamente construído círculo vicioso da corrupção que o envolve. Por meio de pesquisa qualitativo-interpretativista, que possibilitou um plano de sustentação argumentativo relacionando aspectos teóricos do patrimonialismo e do rent seeking com informações empíricas do contexto histórico e sociopolítico-econômico do Brasil, concluiu-se que: a corrupção no Brasil tem avançado aceleradamente nas últimas décadas, apesar da implantação de instituições e leis de combate ao fenômeno; não se vislumbra, pelo menos no médio prazo, possibilidade concreta de rompimento desse círculo vicioso; e que, na escala construída neste artigo, o país permanece nos postos elevados da classificação, configurado como um Estado e sociedade com fortes traços extrativistas de caráter perene.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Antonio Gomes de Pinho, Escola de Administração da UFBA

Prof.Titular aposentado Escola de Administração-UFBA em Pós doutoramento na EAESP-FGV

Ana Rita Silva Sacramento, Faculdade Anísio Teixeira

Doutora em Administração pela Universidade Federal da Bahia

Downloads

Publicado

2018-12-14

Como Citar

Pinho, J. A. G. de, & Sacramento, A. R. S. (2018). O círculo vicioso da corrupção no Brasil: limites estruturais e perspectivas de rompimento. Revista Do Serviço Público, 69, 181 - 208. https://doi.org/10.21874/rsp.v69i0.3262

Edição

Seção

Especial: Repensando o Estado Brasileiro

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)