Gestão de pessoas e o teletrabalho

desafios e possibilidades

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21874/rsp.v72i2.4987

Palavras-chave:

teletrabalho, gestão de pessoas, serviço público

Resumo

O teletrabalho tem sido foco de pesquisas em relação à legalidade e aos impactos na vida de colaboradores, enquanto a sua operacionalização por meio de setores organizacionais vem sendo menos explorada, inclusive na área pública. Posto isso, o objetivo do artigo é analisar o papel da gestão de pessoas na implementação do trabalho à distância no setor público. Realizaram-se seis entrevistas com gestores e servidores da área de recursos humanos de três instituições públicas de Santa Catarina. Os resultados mostraram que há similaridade nos objetivos, nas legislações, na disponibilização de tecnologias da informação, na sensibilização e nos meios de comunicação. Contudo, há diferentes perspectivas em relação à centralização ou não do programa de trabalho remoto em determinados setores, distinção na periodicidade de metas, na solicitação de aumento de produtividade e nas modalidades disponíveis. A pesquisa avança teoricamente ao abordar a atribuição do setor de gestão de pessoas e suas nuances no planejamento, aplicação e acompanhamento dessa forma laboral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Luiza Leite, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis – SC, Brasil

Doutoranda em Administração na ESAG/UDESC e Graduanda em Ciências Contábeis na UFSC. Mestra Profissional em Administração e Graduada em Administração pela ESAG/UDESC.

Dannyela Da Cunha Lemos, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis – SC, Brasil

Doutora em Administração e Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora do Departamento de Administração Empresarial e do Programa de  Pós-Graduação Stricto Sensu em Administração da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC/ESAG).

Referências

ADERALDO, I. L.; ADERALDO, C. V. L.; LIMA, A. C. Aspectos críticos do teletrabalho em uma companhia multinacional. Cadernos EBAPE. BR, v. 15, n. 3, p. 511-533, 2017.

AMORIM, W. A. C.; COMINI, G.; FISCHER, A. L. Ensino e pesquisa em gestão de pessoas/gestão de recursos humanos no Brasil: convergência ou divergência. Revista de Administração de Empresas, v. 59, n. 3, p. 215-221, 2019.

ANSONG, E.; BOATENG, R. Organizational adoption of telecommuting: Evidence from a developing country. The Electronic Journal of Information Systems in Developing Countries, v. 84, n. 1, p. e12008, 2018.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 4ª ed. Rev. Atual. Lisboa: 2004.

BAYRAK, T. IT support services for telecommuting workforce. Telematics and informatics, v. 29, n. 3, p. 286-293, 2012.

BÉLANGER, F. Workers' propensity to telecommute: An empirical study. Information & Management, v. 35, n. 3, p. 139-153, 1999.

BELZUNEGUI-ERASO, A.; ERRO-GARCÉS, A. Teleworking in the context of the Covid-19 crisis. Sustainability, v. 12, n. 9, p. 3662, 2020.

BIANCHI, E. M. P. G.; QUISHIDA, A.; FORONI, P. G. A Leader's Role in Strategic People Management: Reflections, Gaps and Opportunities. Revista de Administração Contemporânea, v. 21, n. 1, p. 41-61, 2017.

BIASI, D.; SOUZA, F. A. P. O teletrabalho e a qualidade de vida nos contact centers. Revista Ibero Americana de Estratégia, v. 5, n. 2, p. 25-33, 2006.

BRASIL. Lei n. 13.467, de 13 de julho de 2017. Altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1º de maio de 1943, e as Leis nos 6.019, de 3 de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de adequar a legislação às novas relações de trabalho. Brasília, 2017. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13467.htm>. Acesso em: 09 jun. 2019.

BRASIL. Resolução CSJT n. 151, de 29 de maio de 2015. Incorpora a modalidade de teletrabalho às práticas institucionais dos órgãos do Judiciário do Trabalho de primeiro e segundo graus, de forma facultativa, observada a legislação vigente. Disponível em: < https://juslaboris.tst.jus.br/bitstream/handle/20.500.12178/63630/2015_res0151_csjt_compilado.pdf?sequence=3&isAllowed=y>. Acesso em: 20 mar. 2019.

BRASIL. Resolução n. 227 do CNJ, de 15 de junho de 2016. Regulamenta o teletrabalho no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. Disponível em: <https://juslaboris.tst.jus.br/bitstream/handle/20.500.12178/89045/2016_res0227_cnj.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 20 mar. 2019.

BRASIL. Resolução n. 157 do CNMP, de 31 de janeiro de 2017. Regulamenta o teletrabalho no âmbito do Ministério Público e do Conselho Nacional do Ministério Público e dá outras providências. Disponível em: <http://www.cnmp.mp.br/portal/images/Normas/Resolucoes/RES_157_2017.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2019.

CARNEVAL, P. P. L. Teletrabalho na administração pública: desenvolvimento de método de identificação de tarefas teletrabalháveis. Dissertação (Mestrado em Sistemas de Gestão) – Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2018.

CONTRERAS, O. E.; ROJAS, I. R. Teleworking and business sustainability. A reflection from the Human Resource Management in Colombia. Suma de Negócios, v. 6, n. 13, p. 74-83, 2015.

COSTA, I. S. A. Teletrabalho: subjugação e construção de subjetividades. Revista de Administração Pública, v. 41, n. 1, p. 105-124, 2007.

DA SILVA, A. M. S. A aplicação do teletrabalho no serviço público brasileiro. In: Congresso Internacional de Direito e Contemporaneidade, 3, 2015, Santa Maria - RS. Anais eletrônicos... Florianópolis: Federal de Santa Catarina – UFSC. Disponível em: <http://egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/a_aplicacao_do_teletrabalho_no_servico_publico.pdfAcesso em: 14 mar. 2019.

DE VRIES, H.; TUMMERS, L.; BEKKERS, V. The benefits of teleworking in the public sector: Reality or rhetoric? Review of Public Personnel Administration, v. 39, n. 4, p. 570-593, 2019.

DENZIN, N. K; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2ªed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

FREITAS, S. R. Teletrabalho na administração pública federal: uma análise do potencial de implantação na diretoria de marcas do INPI. Dissertação (Mestrado em Administração Pública) – Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2008.

FROLICK, M. N.; WILKES, R. B.; URWILER, R. Telecommuting as a workplace alternative: an identification of significant factors in American firms' determination of work-at-home policies. The Journal of Strategic Information Systems, v. 2, n. 3, p. 206-220, 1993.

GASPAR, M. A., et al. Teletrabalho no desenvolvimento de sistemas: um estudo sobre o perfil dos teletrabalhadores do conhecimento. Revista Ciências Administrativas, v. 17, n. 3, p. 1029-1052, 2011.

GOMES, M. R.; SILVA, J. W. N. Qualidade de vida no trabalho a distância: um estudo de caso na PUC Minas virtual. Revista Economia & Gestão, v. 16, n. 43, p. 217-244, 2016.

HIDALGO, A.; ALBORS, J. Innovation management techniques and tools: a review from theory and practice. R&d Management, v. 38, n. 2, p. 113-127, 2008.

HILL, E. J.; FERRIS, M.; MÄRTINSON, V. Does it matter where you work? A comparison of how three work venues (traditional office, virtual office, and home office) influence aspects of work and personal/family life. Journal of Vocational Behavior, v. 63, n. 2, p. 220-241, 2003.

HAU, F.; TODESCAT, M. O teletrabalho na percepção dos teletrabalhadores e seus gestores: vantagens e desvantagens em um estudo de caso. Revista de Gestão e Tecnologia, v. 8, n. 3, p. 37-52, 2018.

ILLEGEMS, V.; VERBEKE, A.; S'JEGERS, R. The organizational context of teleworking implementation. Technological forecasting and social change, v. 68, n. 3, p. 275-291, 2001.

INGRAHAM, P. W.; RUBAII-BARRETT, N. Human resource management as a core dimension of public administration. Foundations of Public Administration Series, 2007.

KATZ, A. I. The management, control, and evaluation of a telecommuting project: A case study. Information & Management, v. 13, n. 4, p. 179-190, 1987.

MELLO, A. Teletrabalho (telework): o trabalho em qualquer lugar e a qualquer hora. Rio de Janeiro: Qualitymar, ABRH-Nacional, 1999.

MOKHTARIAN, P. L.; SALOMON, I. Modeling the desire to telecommute: The importance of attitudinal factors in behavioral models. Transportation research part A: policy and practice, v. 31, n. 1, p. 35-50, 1997.

MROSS, H. Implantação de projeto-piloto de teletrabalho na Coordenação-Geral de Informática da Secretaria da Previdência. Trabalho de Conclusão de Curso. (MBA em Administração Pública) – Escola Nacional de Administração Pública, Brasília, 2016.

NAKROŠIENĖ, A.; BUČIŪNIENĖ, I.; GOŠTAUTAITĖ, B. Working from home: characteristics and outcomes of telework. International Journal of Manpower, 2019.

NILLES, J. M. Traffic reduction by telecommuting: A status review and selected bibliography. Transportation research part A: General, v. 22, n. 4, p. 301-317, 1988.

NOHARA, J. J., et al. O teletrabalho na percepção dos teletrabalhadores. Innovation & Management Review, v. 7, n. 2, p. 150-170, 2010.

PAAUWE, Jaap. HRM and performance: Achieving long-term viability. Oxford University, 2004.

PÉREZ, M. P.; SÁNCHEZ, A. M.; CARNICER, M. P. L. Benefits and barriers of telework: perception differences of human resources managers according to company's operations strategy. Technovation, v. 22, n. 12, p. 775-783, 2002.

REIS, C. Managers' remote work and expertise across cultures. Journal of Applied Management and Entrepreneurship, v. 21, n. 3, p. 97, 2016.

ROCHA, C. T. M.; AMADOR, F. S. O teletrabalho: conceituação e questões para análise. Cadernos EBAPE. BR, v. 16, n. 1, p. 152-162, 2018.

ROSENFIELD, C. L.; ALVES, D. A. Autonomy and information work: telework. Dados, v. 54, n. 1, p. 207-233, 2011.

SANTA CATARINA. Ministério Público do Estado de Santa Catarina. Ato nº 782/2017/PGJ, de 2017. Reestrutura, no âmbito do Ministério Público de Santa Catarina, o Programa de teletrabalho para servidores. Disponível em: <https://portal.mpsc.mp.br/atos-e-normas/detalhe?id=2256>. Acesso em: 18 mar. 2019.

________. Tribunal Judiciário de Santa Catarina. Resolução nº 22/2018, de 2018. Regulamenta o teletrabalho no âmbito do Poder Judiciário de Santa Catarina. Disponível em: <http://busca.tjsc.jus.br/buscatextual/integra.do?cdSistema=1&cdDocumento=172708&cdCategoria=1&q=&frase=&excluir=&qualquer=&prox1=&prox2=&proxc=>. Acesso em: 18 mar. 2019.

________. Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região. Portaria nº 154/2016, de 2016. Dispõe sobre a realização de teletrabalho no Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região. Disponível em: <http://www.trt12.jus.br/portal/areas/ascom/extranet/documentos/17_03_14_Portaria_PRESI_154_teletrabalho_consolidada_72_17.pdf>. Acesso em: 18 mar. 2019.

SILVA-C, A. et al. The attitude of managers toward telework, why is it so difficult to adopt it in organizations? Technology in Society, v. 59, p. 101133, 2019.

TAVARES, F. et al. Teleworking in Portuguese communities during the Covid-19 pandemic. Journal of Enterprising Communities: people and places in the global economy, 2020.

TEO, T. S. H.; LIM, V.K.G.; WAI, S. H. An empirical study of attitudes towards teleworking among information technology (IT) personnel. International journal of information management, v. 18, n. 5, p. 329-343, 1998.

TREMBLAY, D. G. Organização e satisfação no contexto do teletrabalho. Revista de Administração de Empresas, v. 42, n. 3, p. 54-65, 2002.

TUNG, L.-L.; TURBAN, E. Information technology as an enabler of telecommuting. International Journal of Information Management, v. 16, n. 2, p. 103-117, 1996.

VARGAS, A. V.; OSMA, J. I. P. Proposal for implementing a telecommuting model/Propuesta de implementacion de un modelo de teletrabajo. Revista Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação- RISTI, n. 12, p. 17-32, 2013.

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2010.

WOJCAK, E., et al. How to achieve sustainable efficiency with teleworkers: Leadership model in telework. Procedia-Social and Behavioral Sciences, v. 229, p. 33-41, 2016.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2001. Porto Alegre: Bookman.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

Leite, A. L., & Da Cunha Lemos, D. (2021). Gestão de pessoas e o teletrabalho: desafios e possibilidades. Revista Do Serviço Público, 72(2), 330 -359. https://doi.org/10.21874/rsp.v72i2.4987

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.