A Elite invisível: explorações sobre a tecnocracia federal brasileira

Autores

  • Wanderley Guilherme dos Santos Escola Nacional de Administração Pública (Enap)

DOI:

https://doi.org/10.21874/rsp.v67i3.1605

Resumo

Publicado originalmente em 1982, o artigo a seguir discute temas como a intervenção estatal; a expansão da atividade estatal; a administração, autonomia e controle dos órgãos da administração indireta; e o papel da burocracia, entre outros. Além disso, o autor apresenta os resultados de um estudo empírico sobre a instabilidade da burocracia. Com um recorte longitudinal, o estudo compara dados do Legislativo e do Executivo no período compreendido entre 1945 e 1974. Os resultados sugerem relações entre a instabilidade da burocracia e: natureza do regime político, estrutura organizacional e o tipo de posição ocupada pelo burocrata (“atividade-meio”, “atividade-fim” e “topo”). Ao final, o autor sustenta que a capacidade financeira dos órgãos da administração indireta, sua estrutura organizacional e a longevidade dos seus burocratas de alto escalão são fatores que conferem ao controle desses órgãos um caráter notadamente político.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-09-30

Como Citar

Santos, W. G. dos. (2016). A Elite invisível: explorações sobre a tecnocracia federal brasileira. Revista Do Serviço Público, 67(3), 463 - 481. https://doi.org/10.21874/rsp.v67i3.1605

Edição

Seção

RSP Revisitada