Alocação da força de trabalho em uma amostra do poder executivo brasileiro:

levantamento dos custos e avaliação

Autores

  • Heitor Silveira Freitas Tribunal de Contas da União (TCU)
  • André Luiz Marques Serrano Universidade de Brasília (UnB)
  • Lucas Oliveira Gomes Ferreira Universidade de Brasília (UnB)

DOI:

https://doi.org/10.21874/rsp.v72i01.5167

Palavras-chave:

Dimensionamento, Força de trabalho, Custos no setor público

Resumo

Sob a ótica da alocação adequada da força de trabalho, tem-se observado um problema crítico para as organizações, pois a variedade de fatores que o ensejam torna esse assunto complexo e de difícil gerenciamento. A busca pela produtividade exige cada vez mais do servidor, impactando tanto na necessidade do conhecimento dos custos quanto nas horas trabalhadas. Nesse sentido, esse impacto materializou-se mediante processos de racionalização e técnicas que incorporam novas tecnologias no entendimento da estrutura organizacional. A análise foi gerada por meio de um modelo de dimensionamento que considera a demanda como fator preponderante na decisão de alocar para atribuir os custos levantados sobre duas perspectivas: a partir do custo total com o quantitativo de servidores reais alocado e do quantitativo de servidores estimados pelo modelo de dimensionamento adotado. O estudo tem por objetivo analisar o impacto da alocação da força de trabalho nos custos dos produtos gerados pelas pastas de três órgãos da administração pública federal direta com 22 áreas, que oferecem 571 entregas mapeadas a partir do trabalho de 689 servidores, e identificar que tipo de economia pode ser gerada a partir de uma adequada alocação de servidores. Por fim, movimentos internos da gestão podem contribuir para o resgate do equilíbrio das contas públicas e há possibilidade de formalizar e organizar entregas, mesmo as mais simples, a partir das inúmeras atividades de cada área, tornando a atividade estatal mais transparente e disponível para a sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heitor Silveira Freitas, Tribunal de Contas da União (TCU)

Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade de Brasília (UnB) e Especialista em Auditoria Financeira pelo ISC-TCU/UnB.

André Luiz Marques Serrano, Universidade de Brasília (UnB)

Doutor em Economia  pela PPGE/FACE/ UNB (2011).  Mestre em Economia pela Universidade de Brasília (UnB) e Bacharel em Contabilidade PPGC/FACE. Professor Associado da Engenharia de Produção EPR/FT.

Lucas Oliveira Gomes Ferreira, Universidade de Brasília (UnB)

Doutorando pelo PPGCONT - UnB. Professor Adjunto do Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais da Universidade de Brasília (UnB).

Referências

Abrucio, Luiz Fernando. Os avanços e os dilemas do modelo pós-burocrático: a reforma da administração pública à luz da experiência internacional recente. In: Pereira, Luiz Carlos Bresser; Spink, Peter. Reforma do Estado e administração pública gerencial. Rio de Janeiro: FGV, 2003.

Abrucio, Luiz Fernando; Pedroti, Paula; Pó, Marcos V. A formação da burocracia brasileira: a trajetória e o significado das reformas administrativas. In: Loureiro, M. R.; Abrucio, F.; Pacheco, Regina R. (Orgs.). Burocracia e política no Brasil: desafios para a ordem democrática no século XXI. Rio de Janeiro: FGV, 2010.

Alvarenga-Netto, C. A. Proposta de modelo de mapeamento e gestão por macroprocessos. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. São Paulo, 2004.

Avellaneda, Claudia N.; Gomes, Ricardo Corrêa. Is small beautiful? Testing the direct and nonlinear effects of size on municipal performance. Public Administration Review, v. 75, n. 1, p. 137-149, 2015.

Banco Mundial. Um ajuste justo: análise da eficiência e equidade do gasto público no Brasil. Brasil revisão das despesas públicas. Brasil: Grupo Banco Mundial, 2017.

Cavalcante, P.; Carvalho, P. Profissionalização da burocracia federal brasileira (1995-2014): avanços e dilemas. Revista de Administração Pública, v. 51, n. 1, p.1-26, 2017.

Chagas, Anivaldo T. R. O questionário na pesquisa científica. Revista Administração. 2000. Disponível em: <https://moodle.ufsc.br/pluginfile.php/1255609/mod_resource/content/0/O_questionariona_pesquisacientifica.pdf>.

Choudhury, Enamul. Workforce planning in small local governments. Review of Public Personnel Administration, n. 27, p. 264-280, 2007.

Corrar, Luiz J.; Paulo, Edilson; Dias Filho, José M. Análise multivariada para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. São Paulo: Atlas, 2017.

Cunha, Raissa et al.. O que é planejamento da força de trabalho. In: Serrano, André et al. Dimensionamento na administração pública federal: uma ferramenta do planejamento da força de trabalho. Brasília, 2018.

Dias, C. A. Grupo focal: técnica de coleta de dados em pesquisas qualitativas. Revista Informação & Sociedade: Estudos, v. 10, n. 2, p.141-158, 2000.

Dickinson, H.; Sullivan, H.; Head, G. The future of the public service workforce: a dialogue. Australian Journal of Public Administration, v. 74, n. 1, p. 23-32, 2015.

Ernst, Andreas; Jiang, Houyuan; Krishnamoorthy, Mohan; Sier, David. Staff scheduling and rostering: a review of applications, methods and models. European Journal of Operational Research, n. 153, p. 3-27, 2004.

Eveborn, P.; Ronnqvist, M. Scheduler a system for staff planning. Annals of Operations Research, v. 128, n. 1-4, p. 21-45, 2004.

Fontainha, Fernando de Castro et al. Processos seletivos para a contratação de servidores públicos: Brasil, o país dos concursos? Relatório de pesquisa. Rio de Janeiro: Direito Rio, 2014.

Franco, Vithor; Serrano, André. O que é dimensionamento da força de trabalho. In: Serrano, André et al. Dimensionamento na administração pública federal: uma ferramenta do planejamento da força de trabalho. Brasília, 2018.

Gaidzinski, R., R. Dimensionamento de pessoal de enfermagem em instituições hospitalares. Tese de Doutorado. São Paulo: Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, 1998.

Gonçalves, José Ernesto Lima. As empresas são grandes coleções de processos. Revista de Administração de Empresas, v. 40, n. 1, p. 6-9, 2000.

Goodman, D.; FRENCH, Edward; BATTAGLIO Paul. Determinants of local government workforce planning. The American Review of Public Administration, v. 45, n. 2, p. 135-152, 2015.

Guerra, A. R. Arranjos entre fatores situacionais e sistema de contabilidade gerencial sob a ótica da teoria da contingência. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo. São Paulo, 2007.

Hair Jr., J. F. et al. Análise multivariada de dados. Porto Alegre, Bookman, 2009.

Helton, K. A.; Jackson, R. D. Navigating Pennsylvania’s dynamic workforce: succession planning in a complex environment. Public Personnel Management, v. 36, n. 4, p. 335-347, 2007.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Atlas da violência. Brasília, 2019. Disponível em: < https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=34784 >.

Jacobson, W. S. Preparing for tomorrow: a case study of workforce planning in North Carolina municipal governments. Public Personnel Management, n. 39, v. 4, p. 353-377, 2010.

Li, Yongjian; Chen, Jian; Cai, Xiao Qiang. A integrated staff-sizing approach considering feasibility of scheduling decision. Annals OR, n. 155, p. 361-390, 2007.

Liberti, José María; Petersen, Mitchell A. Information: hard and soft. The Review of Corporate Finance Studies, v. 8, n. 1, p. 1-41, mar. 2019.

Mendes, N.; Martins, P.; Serrano, A. O dimensionamento da força de trabalho pela ótica de teorias científicas: uma análise à luz das teorias institucional e da firma. In: Serrano, A.; Mendes, N. Dimensionamento na Administração Pública Federal: possibilidades de aplicação e potencial de alcance. Brasília, 2020.

Moll, Jodie; Hoque, Zahirul. Rational choice theory. In: HOQUE, Zahirul. Methodological issues in accounting research: theories and methods. Spiramus, 2006.

Morgeson, P.; Frederick A.; Campion, Michael. Accuracy in job analysis: toward an inference-based model. Journal of Organizational Behavior, v. 21, p. 819-827, 2000.

Oliveira, A. G.; Bianchini, D.; Abbade, M. L. F. Métricas para dimensionar recursos humanos nos centros de operações de redes. In: Anais do 25º Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos. Belém do Pará, p. 1091-1096, 2007.

ORGANIZAÇÃO DE COOPERAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Government at a Glance 2017. Brasília, 2017.

Pereira, Delciene A. O. Gestão da informação associada ao processo de dimensionamento de força de trabalho: estudo de caso no Ministério da Saúde. Dissertação de Mestrado. Universidade de Brasília. Brasília, 2016.

Perroca, M. G.; Gaidzinski, R. R. Sistema de classificação de pacientes: construção e validação de um instrumento. Rev Esc Enferm USP, n. 32, v. 2, p. 153-68, 1998.

Ribeiro, R. R. M.; Leite, R. M.; Crozatti, J. A racionalidade e processo decisório: algumas reflexões teóricas. Enfoque Reflexão Contábil, n. 25, v. 1, p. 15-24, 2006.

Salvador, M.; Riba, C. A externalização como estratégia da gestão de serviços públicos locais. Revista de Administração Pública, v. 51, n. 4, p. 633-652, 2017.

Sampieri, R. H.; Collado, C. F.; Lucio, P. B. Metodologia de pesquisa. São Paulo: Mcgrawhill, 2006.

Sanchez, J. I.; Levine, E. L. The analysis of work in the 20th and 21st centuries. In: Anderson, N. et al. (Eds.). Handbook of industrial, work and organizational psychology. Thousand Oaks: Sage Publications, 2002.

Santos, A. M. B. Produtividade de mão de obra e do capital investido na Petrobrás: sua relação com o dimensionamento da força de trabalho. Dissertação de Mestrado. Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro, 1998.

Serrano, A. L. M. Dimensionamento da força de trabalho no setor público: modelo quali-quantitativo aplicado. In: Anais do IX Congresso Consad de Gestão Pública, 9, Brasília, 2016.

Serrano, André et al. Dimensionamento da força de trabalho aplicado a uma organização do Poder Executivo federal. In: Anais do XX SEMEAD, São Paulo, 2017.

Serrano, André; Franco, Vithor. Metodologia e modelo para dimensionamento. In: Serrano, André et al. Dimensionamento na administração pública federal: uma ferramenta do planejamento da força de trabalho. Brasília, 2018.

Sotille, Mauro et al. Gerenciamento do escopo em projetos. Brasília: FGV, 2016.

Taylor, Mary Jean et al.; Staffing and retention in public safety communication centers. Daytona Beach: APCO Project RETAINS, 2005. Disponível em: <https://retains.apcointl.org/pdf/Effective_Practices_Guide.pdf>.

Torres, M. C. G. et al. Cadeia de valor: os benefícios do alinhamento entre a estratégia governamental e a operacionalização de seus processos. In: VI Congresso Consad de Gestão Pública. Anais... Brasília, 2013.

Tribunal de Contas da União. Levantamento integrado de governança organizacional pública: ciclo 2017. Brasília, 2018. Disponível em: <https://portal.tcu.gov.br/governanca/governancapublica/organizacional/levantamento-2017>.

Vianna, Cid Manso de Mello et al. Modelos econométricos de estimativa da força de trabalho: uma revisão integrativa da literatura. Physis, v. 23, n. 3, p. 925-950, 2013.

Downloads

Publicado

2021-03-31

Como Citar

Freitas, H. S., Serrano, A. L. M., & Oliveira Gomes Ferreira, L. . (2021). Alocação da força de trabalho em uma amostra do poder executivo brasileiro:: levantamento dos custos e avaliação. Revista Do Serviço Público, 72(01), 163-199. https://doi.org/10.21874/rsp.v72i01.5167

Edição

Seção

Artigos