Comentários Marcos Alonso

Custos no Serviço Público: gênese e repercussão

Autores

  • Marcos Alonso Ministério da Economia

Palavras-chave:

Custos, Serviço Público, Sistema ABC

Resumo

O artigo Alonso (1999) surgiu no contexto de um intenso debate de ideias sobre reforma da administração pública – Reforma Gerencial - que ocupou lugar de destaque na agenda do governo federal entre os anos de 1995 a 1998. O debate recebeu ao menos três fontes de influência: a agenda do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional sobre o tema “qualidade do gasto público”; o debate sobre crise fiscal do Estado no Brasil, que já vinha dos anos oitenta; e as experiências inovadoras de reforma do Estado em alguns países da OCDE.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Alonso, Ministério da Economia

Mestre e bacharel em Matemática e em Economia na Universidade de São Paulo (USP). Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental, vinculado ao Ministério da Economia. Atuou em diversos projetos sobre "Gestão voltada para Resultados" e "Gestão de Custos", tendo sido relator da Comissão Interministerial de Custos, em 2006. Foi professor de Economia em universidades privadas e instrutor da ENAP nos cursos pioneiros sobre Gestão de Custos no serviço público

Referências

ALONSO, Marcos. – Custos no Serviço Público – Revista do Serviço Público – Enap – jan.1999.

ALONSO, Marcos. – Custos no Serviço Público – Texto para Discussão no 31 Enap – 1998.

BRESSER-PEREIRA, L. C. – Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial – FGV – 1998.

KAPLAN, R. S. - Implementação do gerenciamento de custos baseado em atividades: passando da análise à ação (com Robin Cooper, Larry Maisel, Eileen Morrissey e Ronald M. Oehm, Institute of Management Accountants, 1992).

KAPLAN, R.; Cooper, R. – Custo e desempenho – Ed. Futura – 1998.

MACHADO, Nélson. Sistema de informação de custo: diretrizes para integração ao orçamento público e à contabilidade governamental. São Paulo: 2002: http://www.enap.gov.br/downloads/ec43ea4fNelson_ Machado_Tese_Doutorado.pdf

NAKAGAWA, M. – ABC: custeio baseado em atividades – Ed. Atlas – 1994.

OSBORNE, D.; Gaebler, T. – Reinventando o governo – 1992.

National Performance Review – 1993 - https://govinfo.library.unt.edu/npr/library/papers/bkgrd/brief.html

Presidência da República – Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado –1995.

Manual de Informação de Custos do Governo Federal, Secretaria do Tesouro Nacional,Ministério da Fazenda, aprovado pela Portaria STN nº 518, de 17 de julho de 2018.- https://www.tesourotransparente.gov.br/publicacoes/manual-de-informacoes-decustos-mic/2018/26

Relatório final da Comissão Interministerial de Custos – junho/2006. Disponível no anexo do MIC, 2018.

Lei Complementar no 101/2000 – LRF, de 04 de maio de 2000.

Portaria STN no 157, 09.mar.2011 – Institui o Sistema de Custos do governo federal, sistema estruturante do governo federal, composto pela Secretaria do Tesouro Nacional como órgão central e demais órgãos setoriais e seccionais.

Portaria STN no 716, 24.out.2011 – Detalha as atribuições do órgão central e dos órgãos setoriais e institui o Sistema de Informação de Custo – SIC.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE – CFC. Normas Brasileiras de Contabilidade – https://cfc.org.br/tecnica/normas-brasileiras-de-contabilidade/

Normas NBC T 16.11 – Subsistema de Informação de Custos do Setor Público, de 02.dez.2011 e NBC TSP 34 – Custos no Setor Público, de 18.nov.2021.

Downloads

Publicado

2022-11-29

Como Citar

Alonso, M. (2022). Comentários Marcos Alonso: Custos no Serviço Público: gênese e repercussão. Revista Do Serviço Público, 73(b), 153-159. Recuperado de https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/7856

Edição

Seção

RSP Edição Especial 85 anos